Passar para o Conteúdo Principal

Percursos Pedestres

Características do Percurso:

Nome: De Miranda do Douro ao S. João das Arribas
Código: PR 1 MDR
Tipologia: Circular
Distância: 19Km
Duração (horas – aproximada): 5h (a pé) 2h (bicicleta)
Tipo de Piso: Caminho Rural (Terra Batida)
Grau de Dificuldade: Média
Local de Partida: Sé de Miranda do Douro
Local de Chegada: Sé de Miranda do Douro
Coordenadas Geográficas: 41º29´36.23´´N 6º16´24.73´´O
Marcação do Percurso e Edição de Guia: Parque Natural do Douro Internacional

Descrição do Percurso:

O percurso corresponde a um circuito a efetuar por via pedonal, bicicleta ou a cavalo através da zona imediatamente a norte da cidade de Miranda do Douro. Este inicia-se em Miranda do Douro seguindo para norte por caminho vicinal, pelo Bairro da Terronha, até à povoação de Vale de Águia, seguindo depois por estrada municipal até Aldeia Nova e novamente por caminho vicinal até à capela de S. João das Arribas sobranceira ao vale do Douro. Daí o regresso efetua-se por caminhos vicinais, passando em Aldeia Nova, Pena Branca e que no troço final acompanham o Rio Fresno até chegar a Miranda pela Zona do Pinhal.

Motivos de Interesse:

A região norte do Parque Natural do Douro Internacional constitui um espaço com elevada riqueza paisagística devido ao contraste entre o Vale escarpado (Arribas) do rio Douro e o vasto Planalto Mirandês. Nessa área destacam-se um conjunto de valores faunísticos e florísticos, associados ao património arqueológico, histórico, arquitetónico e etnográficos únicos em todo o país.

Na primeira fase do percurso fronteiriço encontra-se um Douro encaixado nas suas profundas e graníticas “arribas”. Neste recanto do Planalto Mirandês presencia-se um cenário rural, com alternância de lameiros, matagais, bosquetes e terrenos cerealíferos.

As encostas do rio Douro albergam bosques e espessos matagais que são o refúgio da raposa, do javali e do corso. No céu não é raro detetar o voo planado de duas espécies de aves necrófagas, o Abutre do Egito e o Grifo. A Cegonha-preta, a Águia-real, o Bufo-real, a Gralha-bico-vermelho e o Andorinhão são outras aves rupícolas que também surgem nesta área.

Mas uma das maiores atrações deste percurso é sem dúvida a própria cidade de Miranda do Douro com o seu admirável centro histórico (de destacar a Sé Catedral, a Rua da Costanilha e o Museu da Terra de Miranda) e o seu enquadramento natural junto das “arribas” (existindo vários miradouros ao longo de todo o percurso). O restante itinerário tem inúmeros pontos de interesse em termos culturais, sendo de destacar os elementos da arquitetura popular (moinhos, “ corriças” tradicionais com coberturas de giestas, casario tradicional, picotas, fontanários e pombais), o “ Castrilhouço”- ruinas de um castro, as igrejas e os núcleos urbanos antigos de Vale de Águia e Aldeia Nova. A zona envolvente á capela de S. João das Arribas possui vestígios arqueológicos pré – históricos, sendo facilmente observáveis as ruinas de um velho luso-romano que entronca na idade do bronze, classificado como património nacional desde 1910 (M.N. Decreto 16/6/1910). Aí foram encontrados numerosos vestígios como machados de sílex, pontas de lanças em bronze e cobre, objetos em cerâmica, grãos de trigo carbonizados, pedras de moer, moedas, etc. Ao longo dos seculos as pedras de parte da sua muralha primitiva deverão ter sido usadas pelas populações de acordo com as suas necessidades, nomeadamente na edificação de socalcos, muros e pequenas construções associadas à atividade agrícola. Neste mítico local onde S. João é padroeiro, realiza-se todos os anos, no primeiro domingo de maio uma importante festividade com procissão e missa campal onde afluem centenas de pessoas.

Certificação: (FCMP) – Certificado pela Federação de campismo e Montanhismo de Portugal.

Partilhar